BLOG BOREALTRIP

Borealtrip: Excelência em Intercâmbio no Canadá!
7 Sep 2017

RESPONDEMOS AS 5 PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE INTERCÂMBIO NO CANADÁ

/
Posted By

É natural que diversas dúvidas sobre os mais variados temas surjam ao planejar um intercâmbio para o Canadá.

Questões sobre proficiência do idioma, imigração, trabalho, saúde, educação e custo de vida encabeçam cententas de mensagens recebidas diariamente por nós da Borealtrip Intercâmbio, vindas de brasileiros que desejam ter uma experiência inesquecível no Canadá.

O Blog reuniu essas informações e elaborou um Top Five de respostas para essas dúvidas mais frequentes, a fim de auxiliar o maior número de pessoas no entendimento dessas questões que consideramos ser as principais.

 

1 – Quanto tempo preciso estudar para atingir um nível de inglês avançado ou fluente?

Essa, talvez, seja a pergunta mais frequente dos brasileiros. A resposta é curta e objetiva: o domínio do idioma é uma soma entre capacidade de aprendizado, prática e tempo dedicado aos estudos. Para alguns, seis meses de curso de inglês é mais do que suficiente para aprender a se comunicar sem qualquer dificuldade. Para outros, esse é o tempo necessário para “quebrar o gelo” e perder o medo de arriscar as primeiras palavras em público. Trata-se de um processo gradativo, que demanda paciência e exige dedicação. Definir um período para atingir determinado nível é, no mínimo, arriscado. O aprendizado é algo particular e cada um tem o seu próprio tempo.

 

2 – Quero estudar e trabalhar no Canadá. Posso?

Sim, no entanto, apenas quando se está matriculado em cursos que permitam solicitar um Open Work Permit (OWP). Vistos concedidos para cursos de idiomas, já há algum tempo, por exemplo, NÃO permitem mais aos estudantes trabalharem. O governo canadense decidiu restringir a regra após detectar que muitos intercambistas chegavam ao país e abandonavam os estudos no início, para terem todo o tempo livre dedicado ao trabalho.

Hoje em dia, para poder trabalhar, o brasileiro pode optar por cursos vocacionais e Colleges, bem como universidades que ofereçam bacharelado, mestrado, doutorado ou pós-doutorado. Há também restrição no tempo de trabalho mensal. Para os estudantes que se enquadram nessas regras, é permitido trabalhar 20 horas por semana, o tão falado part-time.

 

3 – Como faço para imigrar para o Canadá?

Há uma lenda disseminada nos últimos anos no Brasil de que o Canadá está constantemente em busca de brasileiros para habitar o seu território. Por isso, as pessoas buscam, cada vez mais, orientação para entender como é possível se tornar um “cidadão canadense”. São diversas opções de programas e as regras de admissão variam entre províncias. Portanto, se o objetivo é imigrar, o mais indicado é pedir orientação para agências especializadas em imigração, que são as que têm autorização do governo canadense para avaliar cada caso, antes de tomar qualquer decisão. Não vá ao Canadá imaginando que o processo de imigração é simples. É possível, desde que haja um bom planejamento traçado e algumas etapas sejam cumpridas.

 

4 – Vou estudar no Canadá e levarei minha família. Posso matricular meu filho em uma escola pública?

Há casos de famílias que se mudam para o Canadá e se surpreendem, quando chegam, por não poderem matricular seu(s) filho(s) para estudar(em) gratuitamente nas escolas públicas do país. Cada província possui suas normas. Nas duas principais cidades do país, Toronto e Vancouver, a regra é praticamente a mesma: um dos pais precisa estar matriculado em uma instituição pública de ensino superior canadense, em programas full-time e que concedam diploma, para o filho(s) poder(em) ser matriculado(s) em uma escola pública. No caso de instituições privadas, o programa deve ser full-time e de bacharelado ou mestrado. Se o curso conceder apenas certificação, o outro cônjuge deverá ter um Open Work Permit e estar trabalhando full-time.

 

5 – Com visto de estudo, terei direito ao sistema de saúde canadense?

Em British Columbia, o plano de saúde provincial se chama MSP (Medical Services Plan) e atende apenas estrangeiros com permissão de estudos válida por seis meses ou mais e trabalhadores com autorização de permanência no país pelo mesmo período. Apesar de ser um benefício oferecido pelos órgãos públicos, o serviço é pago.

Em Ontario, o plano é gratuito e se chama OHIP (Ontario Health Insurance Plan). Nele, os estudantes internacionais não têm direito ao benefício, a não ser que estejam acompanhados do cônjuge e este tenha uma permissão de trabalho e emprego full-time.

Já na província de Manitoba, o benefício de saúde público é gratuito e válido para estudantes em geral com, no mínimo, seis meses de permissão de estudos. Ao contrário de British Columbia e Ontario, Manitoba exige que o beneficiário dê entrada no serviço após três meses morando na província e tenha a intenção de permanecer por, pelo menos, seis meses dentro do período de um ano.

 

Caso ainda tenha ficado com alguma dúvida ou sua pergunta não esteja em nosso Top Five, entre em contato com nossos consultores educacionais por meio do Fale Conosco ou pelo e-mail [email protected] para podermos lhe ajudar!